quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Viver na fé quer dizer reconhecer a grandeza de Deus e aceitar a nossa condição de criaturas, diz Papa na Audiência Geral




Nesta quarta-feira (06/02/13) mais uma vez realizou-se a tradicional Audiência Geral. Milhares de fiéis e peregrinos foram recebidos por Sua Santidade o Papa Bento XVI que fez para eles a continuação de sua catequese relembrando o tema proposto para o Ano da Fé.

Continuou, então, o pontífice em sua meditação sobre o Credo: A profissão de fé inicia qualificando Deus como "Todo-poderoso", e a seguir o Credo afirma que Deus é o "criador do céu e da terra", recordando assim a frase com a qual tem início a Bíblia.
O Santo Padre ensinou que Deus é Pai enquanto origem da vida e que ao criar Ele mostra a sua onipotência. É Deus quem estabelece a ordem, a harmonia e põe beleza em todas as coisas. E Ele não abandona suas criaturas. 

É por isso que o mundo criado mostra vestígios da ação divina e, para mais além de uma análise meramente fática, permitem vislumbrar a profunda verdade da criação e o amor de que está impregnada.

Por meio da revelação, o fiel pode ler no grande livro da natureza quem é Deus como Criador e Pai. Mas, o ápice da criação é o homem e a mulher, o ser humano: um ser pequeno em relação à imensidão do universo, porém o único que foi feito «à imagem de Deus», capaz de entender a sabedoria da sua obra, reconhecendo e louvando através dela o Criador.
É por isso, diz o Papa, que o homem goza da proteção especial de Deus, que fundamenta a inviolabilidade da dignidade humana, frente à tentação de ver nas pessoas simples objetos inanimados para a própria utilidade.
O Santo Padre concluiu suas palavras afirmando: "Queridos irmãos e irmãs, viver de fé significa reconhecer a grandeza de Deus e aceitar a nossa pequenez, a nossa condição de criaturas deixando que o Senhor a preencha com o seu amor. O mal, com a sua carga de dor e de sofrimento, é um mistério que é iluminado pela luz da fé, que nos dá a certeza de nos livraremos dele."
Bento XVI proferiu sua catequese em italiano, porém, no final, como sempre costuma fazer, fez um resumo dela em varias línguas. Ele disse em o português: Queridos irmãos e irmãs, no Credo, confessamos que Deus é o «criador do céu e da terra», como se lê no Gênesis Deus cria através da sua palavra: a vida surge, porque tudo obedece à Palavra divina.
No vértice da criação, aparece o homem e a mulher: formados do pó da terra, possuem o sopro vital de Deus, e cada vida humana está sob a sua proteção. Esta é a razão mais profunda da inviolabilidade da dignidade humana.
Viver na fé quer dizer reconhecer a grandeza de Deus e aceitar a nossa condição de criaturas. Por vezes, somos tentados a ver esta dependência do amor criador de Deus como um peso do qual libertar-se. Mas, indo contra o seu Criador, o ser humano renega a sua origem e a sua verdade, e o mal entra no mundo com a sua penosa cadeia de sofrimentos e morte. E, sozinhos, não podemos sair dela...
As justas relações só podem ser reatadas, se Aquele, de quem nos afastamos, vier até nós e nos estender a mão. É o que faz Cristo! Percorre o caminho do amor, humilhando-Se até à morte de Cruz, para repor em ordem as nossas relações com Deus e com os outros. A Cruz torna-se a nova árvore da vida. De coração, saúdo os peregrinos de Guaratinguetá e todos os presentes de língua portuguesa. Sede bem-vindos! Que nada vos impeça de viver e crescer na amizade de Deus Pai criador, e testemunhar a todos a sua bondade e misericórdia! Desça a sua Bênção generosa sobre vós e vossas famílias.
Após o final da saudação, Bento XVI ainda pôde ouvir um hino a Nossa Senhora Aparecida que foi entoado por um grupo de brasileiros que estavam no local. 

Gaudium Press